domingo, 2 de maio de 2010

PEQUENO DICIONÁRIO ILUSTRADO DE MODA chic

Chic é hoje um carimbo usado em muitos lugares, mas você sabe de onde veio e para onde vai essa palavra mágica, um elogio cobiçado à máxima potência pelo mundo e merecido por poucos e excelentes?

"Ford signed by Chanel", Vogue América, 1926: o LBD original é a epítome do chic

"A originalidade, simplicidade e funcionalidade de Chanel se traduziam por uma única palavra: chic", me diz a expert em modernismo, Mary Davis. E vai:

'Palavra-chave para distinguir a elegância modernista, o termo começou a ser usado na França no fim do século 18. No fim do século 19 servia para rotular "a arte de si mesma" baseada na individualidade, autenticidade e no bom gosto - segundo o Dictionnaire historique de la langue française. No momento em que o ilustrador Sem publicou o manifesto Le Vrai et le faux chic, em 1914, vários outros significados tinham sido 'colados' ao termo: "graça jovem e ingênua" e "simplicidade discreta e harmônica", "charme" eram invocados no manifesto, junto com a noção de chic como parte de uma sabedoria tradicional francesa.

Esses conceitos passaram para a década de 1920 - e em 1924 Vogue América passeava pelas muitas conotações do termo
na coluna "Guide to Chic". Na matéria intitulada "Before and after taking Paris", na qual a "Sra. Interior dos Estados Unidos" descobre a "diferença entr o chic francês e o produto nacional", explica-se:

"Simplicidade. Este era o primeiro passo. Um bom vestido, bem desenhado, bem cortado, com uma única ideia na sua construção e um acabamento que garantia a personalidade. Como regra, quanto mais simples, melhor. Simplicidade de linha, perfeição nos acessórios e para quem é chic no superlativo um toque próprio é o segundo passo."

Quando se tratava de chic, portanto, simplicidade - o tipo que sempre foi e será caro, como escreveu a Vogue em 1919 - era fundamental e Chanel era o ícone. Ao longo dos anos 1920s, sua moda "árida", inspirada na vida balneário e caracterizada por uma simplicidade jovem ao mesmo tempo por elegância sofisticada, foi a base de um estilo atemporal e transatlântico que permanece na alma de um dos impérios mais poderosos da moda.'

2 comentários:

legalmentefashion disse...

Très instructif! Quantas vezes descobrir a origem cognitiva dos termos não abre portas fashionistas mentais?
Sou apaixonada pelo seu blog!
Beijos,
Camilla.

Aline disse...

Amei seu blog! Passei por aqui para te conhecer e te linkar! Venha me conhecer tb:
meujeitobyalinemagalhaes.blogspot.com
bjus!