quarta-feira, 3 de março de 2010

DESOBEDIÊNCIA MODAL Por que eu não acredito em democracia?

Democracia, da última vez que chequei, significa caminhar na mesma direção das vontades da maioria - goste você ou não da soberania popular.

Taí algo em que eu não acredito. Odeio a ditadura da maioria - tão século 20.

Isso não significa que eu seja partidária do outro lado da moeda e acredite na tirania - quando a vontade de um se impõe a de todos. Tão século 19.

Dou boas-vindas pura e simplesmente para o direito de escolha individual. Todos nós temos direito de seguir na direção em que nos for mais conveniente.

Rebelde? Talvez anárquica. Todo anarquista que, para viver em sociedade, é preciso conhecer muito as regras do jogo. E ser muito responsável. O que, na moda, significa seguir sua própria vontade, estar aberta às ideias capazes de elevar o nosso estilo a outro patamar e desobedecer toda a moda que vira regra. Não para matar o mundo do coração. Sim para ampliar o vocabulário de moda de cada um.

3 comentários:

naomemandeflores disse...

E viva o individualismo!!!

Camila Coutelo disse...

e viva a liberdade de ser!! simples assim!
amei!

beijo

Georgiana disse...

Poxa, que reflexão bacana a sua... tenho uma amiga, que ao discutirmos, sempre comento que não acredito na democracia. Há muito tempo sustento isso. Não se trata de desejar a tirania, a monarquia, mas a gênese da democracia não é democrata, no sentido ordinário, comum, que temos atualmente. A democracia, surgida na Grécia antiga, era o governo dos homens, ricos e, portanto, libertos. Apenas a eles competia governar. Como eu posso acreditar nisso?? Tem coisa mais excludente??? Tanto isso é verdade, que o discurso de Bush sempre foi pautado no direito à Democracia. E, após muito cuidado, vc conseguiu sugerir uma forma de convivência social mais humana e igualitária, a anarquia (sem o sentido pejorativo), mas de independência e respeito ao próximo, meio alemão-escandinavo de ser. Amoooo seu blog! bisoussss