quarta-feira, 6 de maio de 2009

10 MANDAMENTOS PARA COMPRAR VINTAGE por Abigail K. Rutherford, diretora de vintage couture e acessórios da Leslie Hindman Auctioneers

Abigail K. Rutherford no closet lotado de vintage, em Chicago: expert em tesouros escondidos nos rincões dos Estados Unidos. (foto: Nicole Radja, TimeOut)


Há algo de novo no ar. E não tem cheiro de mofo. Uma nova onda de interesse pelo vintage, com V maiúsculo, está extrapolando o tapete vermelho – culpe a crise, se quiser, e sua capacidade de nos fazer focar no que é bom, em oposição ao que é novidade.

Veja no fim desse post os sinais da preferência por algo excepcional, exclusivo, com valor de obra de arte. São os looks que apareceram na festa que está se tornando a maior passarela de Nova York: o baile anual do Metropolitan Museum, marco da abertura da exposição de verão do Costume Institute, braço do museu criado por Diana Vreeland dedicado à moda. (a expo desse ano é Model as a Muse. Veja na barra ao lado).

Por essas e outras é que nos últimos anos, casas de leilão se transformaram no ultimate shopping space para as fashionistas. Sobre isso eu escrevi uma matéria para a Vogue de maio – leia e atualize seu closet.

Entre as minhas fontes está Abigail K. Rutherford, 27 anos, formada em História da Arte e com flerte, sem compromisso, em pós em Moda. Desde 2006 ela toca a área de Vintage Couture e Acessories da casa de leilão Leslie Hindman, uma das poucas nos Estados Unidos a focar muito em moda. Leslie Hindman se dedica principalmente aos estilistas norte-americanos – Roy Halston, James Galanos, Norman Norell. O que não significa excluir todos os outros estilistas do planeta moda.

A função de Abigail é encontrar esses tesouros perdidos nos armários de socialites Estados Unidos afora. Numa cidadezinha do Michigan, Abigail encontrou Paul Poiret e Irmãs Callot, ambos gigantes da era pré-Chanel. "Ninguém imagina existir um acervo tão cosmopolita num lugar tão remoto, mas essa senhora viajava todo ano para Paris para refazer o guarda-roupa", conta Abigail.

No que investir? O que avaliar? Como usar? O que reformar? Essas e outras perguntas Abigail responde aqui:

1) Para começar, descubra seu estilo relacionando-o a uma década. Ajuda a refinar a busca quando você sai às compras num brechó, numa casa de leilão, na internet. Por exemplo, uma garota mais feminina deve se interessar mais pelos 1950s; uma garota mais edgy, mais punk, vai atrás dos 1980s e 1990s; para uma garota boho, obviamente os 1970s fazem muito mais sentido.

2) A partir da década, relacione os estilistas. Se você é mais avant-garde, a moda futurista de Thierry Mugler deve servir como uma luva. Se você é mais clássica, a feminilidade refinada de Balenciaga é perfeita.

3) Encontre uma ótima lavanderia e costureira, ambas especializadas em peças mais antigas. Eu vi peças maravilhosas serem destruídas por maus cuidados na limpeza e no conserto. (nota da Sissi: em São Paulo, lavei meus Dener na lavanderia Sampaio, tel. 3782 4974, na Raposo Taavares).

4) Agora que você está pronta para comprar, é importante encontrar um lugar confiável. É costurar uma etiqueta original numa peça falsa e por isso você deve tomar cuidado ao comprar em lugares como eBay. Sempre recomendo comprar em casas de leilão – é como uma loja, só que sem o mark-up! Leilões são um comércio justo e o preço costuma ser mais próximo daquele do atacado. (nota da Sissi: no eBay, uma loja confiável é a Ricky's Exceptional Treasures. No Brasil, o e-closet traz peças selecionadas entre as amigas-margaridinhas de Giovanna Lemes Motta.)

5) Não se fie à numeração das peças. O tamanho era muito diferente – por exemplo, o 10 equivale hoje ao 4/6 (= 38/40). Se não há como provar a peça, solicite as medidas-chave.

6) Inspecione cada item por dentro e por fora. Tedemos a nos esquecer que as peças vintage foram usadas e têm manchas, buracos de traça ou marcas causadas por armazenação incorreta.

7) Trocar zíperes, subir barras, realinhar uma peça não são consertos complicados e têm um impacto final no preço.

8) Não enlouqueça e use muito vintage. Vai parecer que você está usando um figurino para um filme.

9) Não despreze o maravilhoso mundo do armário da mãe e da avó. Eu mesma encontrei muitos dos meus acessórios favoritos nesses baús da família.

10) Se não serviu, mas você ama a peça de paixão, compre um manequim e exiba o modelito. Moda é uma forma de arte que mostramos no corpo – por que não mostrá-la em casa?

Stella Tennant de Helmut Lang, à esquerda.

Katie Lee Joel, de Alfred Bosan.

Dasha Zhukova, de Prada.

Amber Valletta, de James Galanos.

Marisa Tomei, de Adrian.

O melhor look vintage: Natalia Vodianova, de Fortuny.

E o pior erro (ver item 8): Cheryl Tiegs de vintage dos pés a minaudière (vestido Norman Norell, joias Neil Lane e Judith Leiber minaudière). As peças são lindas, mas juntas fazem parecer que ela não tem um armário, mas um museu.























13 comentários:

Clarisse disse...

Uma dica pra quem é do Rio comprar vintages maravilhosos sem nada que lembre mofo e traças, a Eu Amo.
Tem site:
http://euamovintage.com.br/
Fica em Santa Teresa, eu vou sempre que posso e nunca me arrependo.
beijinhos

João Batista Jr. disse...

Ótimo post!!!
Sou seu fã.
Beijos, João

Lauren - Moda Trash disse...

O bom é que o preço do vintage fica um pouco mais perto de um ser humano comum. Ou estou errada?
bjokasss

Carmen Martins Consultoria de Imagem disse...

Simone, achei que vc iria gostar de saber: mais um blog de street style francês que promete! Vc já viu? www.nast-magazine.fr. beijos

Flor de Bela Alma disse...

Oi linda, respondi seu e-mail, não sei se viu...adorei esse post, porque acabei de ganhar uma túnica Pucci vintage de uma tia, só que ela está com uma mancha e vou tentar dar um jeito. Beijo carinhoso e o café com bolo nos espera: Bia

andreza felix disse...

sissi,
um dos posts mais legais que ja li aqui no cest.
nem sei se um dia vou chegar a usar couture mas assim, vintage, que sabe, nao?
bjos

N. disse...

Amei as dicas, para comprar com mais responsabilidade!

joh disse...

na minha cidade não deve ter brechós legais ha-ha, mas ok.

Marília disse...

ai, delícia de post!
amo vintage e ceeeerteeeeza , explorei muito armario de mamis e vovis, enontrei verdadeiros tesouros, principalmente em acessórios e alguns achados como esse vestido:
http://marilialevy.blogspot.com/2008/11/vintage-rules.html

BEIJO GRANDE!

Nina Franco disse...

EuAmoVintage é uma das melhores aqui no Rio, mais se andar bastante pelas ruas da Lapa dá para encontrar muitos lugares bem escondidinhos, e com muito vintage!!

Elis disse...

Em Santos tem um brechó ótimo, com peças vintage, todas de boa qualidade e por um preço super acessivel, fica no canal 2 na Carlos Gomes. Eu mesma comprei um blazer xadres lá essa semana lindo !

Suzana disse...

Tem no Rio um brechó novo e com vintages incriveis,o ViVa Retro! entre Ipanema e Copacabana,é pequenininho mas tem peças otimas,super bem cuidadas,comprei varios !!!!!!!!!!!!!!!

Roberta Carlucci disse...

Ótimas informações, vou defninitivamente recomendar este post para minhas clientes!
Obrigada pelas dicas!
Beijos